Tribunal Eleitoral do Pará poderá ser o primeiro de porte médio a finalizar a revisão biométrica

Iniciada em junho, terceira e última etapa da revisão biométrica obrigatória encerra em novembro, com 100% dos municípios paraenses atendidos.

TRE-PA Biometria

 

Com quase todos os 144 municípios paraenses atendidos pela revisão biométrica obrigatória, o Tribunal Regional Eleitoral do Pará se aproxima do cadastramento da totalidade do eleitorado. Até novembro, quando se encerra a terceira e última etapa da biometria, todos os municípios terão recebido as equipes do tribunal responsáveis pela revisão biométrica.

O sistema biométrico de identificação é utilizado pelo Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA) desde as Eleições de 2010. O primeiro município a utilizar o sistema foi Capanema, localizado no nordeste paraense, que passou pela revisão biométrica em 2009. Até as Eleições de 2014, nove municípios do estado já utilizavam a biometria. Em 2015, mais treze municípios entraram no processo de coleta de dados dos eleitores para a biometria. Em 2018 mais 31 municípios utilizaram a biometria, incluindo a capital do Pará, Belém.

Além dos grandes centros, muitos municípios paraenses possuem sua estrutura de logística bastante complexa e com diversas comunidades afastadas da sua sede, posicionadas em zonas rurais de difícil acesso, o que demanda uma operação envolvendo um grande número de pessoas equipadas com estrutura suficiente para permitir o cumprimento dessa importante missão, mas um dos maiores insumos das equipes envolvidas no processo da Biometria é o compromisso com a missão cumprida e o alcance do objetivo final, que é a garantia do direito do cidadão de exercer o seu direito de voto da melhor maneira possível.

Primeiros municípios a concluírem seus trabalhos na terceira etapa, Mãe do Rio e Porto de Moz alcançaram quase 90% do eleitorado, o que significa mais de 40.000 pessoas atendidas em pouco mais de dois meses. Coordenador do recadastramento biométrico em Porto de Moz, Jociney Almeida destacou as principais dificuldades na ação: “Nossas principais dificuldades na execução de biometria em Porto de Moz foi o grande número de comunidades em localidades ribeirinhas; alguns ficavam distantes mais de vinte horas da sede da Zona Eleitoral até a comunidade, pelo rio Guajará. Muitas vezes enfrentando as intempéries como ataque de mosquitos, forte maresia nos rios, chuvas, tempestades, tudo durante a jornada na zona rural, que durou mais de 30 dias.”.

Para Felipe Houat de Brito, Secretário de Tecnologia da Informação do TRE do Pará, “o TRE começa a colher os primeiros resultados da terceira e última etapa, com os dois primeiros municípios encerrando seu período com bem mais de 80% de revisão de eleitorado, que é uma meta básica que o tribunal trabalha, e até metade de setembro a expectativa do tribunal é ter mais 13 municípios concluídos e já iniciar a fase final da terceira etapa, que compreende municípios com logística mais complexa, como Jacareacanga, Uruará, com grande dificuldade de acesso.”

 E é esse o grande ganho presente nas pessoas que bravamente atuaram nessa importante missão de levar o recadastramento biométrico a todos os 144 municípios do Pará. “É gratificante podermos levar o atendimento eleitoral em localidades tão distantes, atendendo em tempo real e entregando o título eleitoral imediatamente nas mãos do cidadão, satisfazendo o nosso trabalho e a qualidade da Justiça Eleitoral no atendimento. A execução desse trabalho só foi possível porque o TRE nos deu todo o apoio, por meio do Felipe e de toda a equipe da STI, que nos atendeu com presteza e qualidade, além da ida do presidente do tribunal, Desembargador Roberto Moura, a Porto de Moz, valorizando o nosso trabalho, e também o apoio da Prefeitura e da Câmara, que nos permitiu encerrar com sucesso a nossa missão”, destacou o coordenador da biometria em Porto de Moz.

“De maneira geral o tribunal enxerga como muito positiva essas ações, não só pelos percentuais que apontam de forma objetiva o sucesso alcançado, mas também porque o tribunal tem se empenhado junto aos entes municipais no sentido de levar esse atendimento às localidades mais distantes, utilizando para isso 8 antenas móveis que tem, distribuídas pelos mais diversos locais do estado, sejam áreas ribeirinhas, de garimpo, não deixando nenhum eleitor sem acesso, pelo contrário, tem sido a oportunidade de muitos eleitores que há anos não votavam estarem regulares com a Justiça Eleitoral e exercerem seu direito de voto”, reforçou o Secretário de Tecnologia da Informação.

Para Hermegildo Cunha, coordenador da biometria em Mãe do Rio, a maior satisfação foi o retorno recebido da população: “nossa maior satisfação foi ouvir a população nas ruas elogiando o atendimento. Gratificante demais saber que o empenho dos servidores da Zona, da sede do TRE, dos colaboradores contratados para o atendimento e dos nossos colegas de outras zonas deslocados para nos auxiliar, foi recompensado com um trabalho de excelência, ultrapassando os 88% de revisão do eleitorado”.

“De maneira geral o tribunal enxerga como muito positiva essas ações, não só pelos percentuais que apontam de forma objetiva o sucesso alcançado, mas também porque o tribunal tem se empenhado junto aos entes municipais no sentido de levar esse atendimento às localidades mais distantes, utilizando para isso 8 antenas móveis que tem, distribuídas pelos mais diversos locais do estado, sejam áreas ribeirinhas, de garimpo, não deixando nenhum eleitor sem acesso, pelo contrário, tem sido a oportunidade de muitos eleitores que há anos não votavam estarem regulares com a Justiça Eleitoral e exercerem seu direito de voto”, reforçou o Secretário de Tecnologia da Informação.

Últimas notícias postadas

Recentes