Sustentabilidade é tema de curso no Tribunal Regional Eleitoral

O curso, traz como foco, a gestão de resíduos sólidos com ênfase nas urnas eletrônicas.

tre-pa-curso

 

O TRE do Pará deu início nesta segunda 12, ao curso de Gestão de Resíduos Sólidos com ênfase na Reciclagem de Urnas Eletrônicas. A programação é uma inciativa do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), e visa despertar um olhar mais atento dos servidores acerca do descarte correto de materiais que podem ser reciclados e reaproveitados.

A abordagem, feita de forma muito didática, despertou a curiosidade e interesse dos participantes. Antes de chegar no foco principal, que trata sobre a reciclagem de todos os itens que fazem parte da urna eletrônica, a Tecnóloga em Mineração, Tais Oliveira, trouxe para sala de aula questões que perpassam a sustentabilidade e que estão ligadas diretamente a ela, como, por exemplo, exteriorizar o custo de produção e o consumo consciente.

“O curso é uma contrapartida do TSE e tem como intuito garantir a destinação correta das urnas eletrônicas. Em âmbitos bem gerais, nós vamos abordar itens que são inerentes a gestão de resíduos, como: coleta seletiva, reciclagem, processamento industrial de resíduos, a destinação e descaracterização das urnas eletrônicas”, explica a tecnóloga que também é Mestre em Engenharia de Minas.

Além da reciclagem das urnas, o curso também abordou questões relacionadas ao lixo doméstico, resíduos orgânicos e a importância de se colocar em prática a coleta seletiva. “Nossa ideia não é executar uma capacitação técnica, e sim uma sensibilização. E que os participantes coloquem em prática todo aprendizado, no seu próprio lixo doméstico. A política pública é muito importante, mas as ações individuais também não podem ser esquecidas”, ressalta ainda Taís.

“A minha participação no curso surgiu de um termo de cooperação entre o TRT8, TRE, TJ e o MPT. Essa troca de experiências é de extrema importância para que a gente não trabalhe só a questão da geração dos resíduos, mas também enfatizar a troca entre as unidades socioambientais das instituições do Judiciário, até porque essa questão é muito nova. É importante frisar que cada cidade tem sua peculiaridade, então, temos que pensar em ações que se adequem à nossa realidade”, falou Danilo Barbosa, coordenador de Sustentabilidade do TRT da 8ª Região, um dos participantes externos do curso.

Vale ressaltar que a Política de Resíduos Sólidos vem sendo implementada no Brasil desde 2010, instituída pela lei de n° 12.305/10. A lei é um instrumento importante para enfrentar os problemas ambientais, sociais e econômicos, decorrentes do manejo inadequado dos resíduos sólidos.

O treinamento segue durante toda terça-feira, 13, até às 17h, na sede do tribunal.

 

Últimas notícias postadas

Recentes