Justiça Eleitoral do Pará promove treinamento sobre SGIP3

As Secretarias Judiciária (SJ) e de Tecnologia da Informação (STI), do Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA), promovem nos dias 17 e 18, o treinamento direcionado aos partidos políticos sobre versão 3 do Sistema de Gerenciamento de Informações Partidárias (SGIP3). A nova versão entrará em vigência nesta sexta-feira (19) e todo processo se dará de forma eletrônica. Para o treinamento, foram convidados representantes dos diretórios estaduais dos 34 partidos políticos.

As Secretarias Judiciária (SJ) e de Tecnologia da Informação (STI), do Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA), promovem nos dias 17 e 18, o treinamento direcionado aos partidos políticos sobre versão 3 do Sistema de Gerenciamento de Informações Partidárias (SGIP3). A nova versão entrará em vigência nesta sexta-feira (19) e todo processo se dará de forma eletrônica. Para o treinamento, foram convidados representantes dos diretórios estaduais dos 34 partidos políticos.

O SGIP foi desenvolvido pela Secretaria de Tecnologia da Informação, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), e normatizado pela Resolução Nº 23.093/2009. O Sistema permite a gestão dos dados das agremiações partidárias relativas aos seus órgãos de direção, respectivos integrantes e delegados.

O Sistema é composto de três módulos: Interno, de uso exclusivo e obrigatório da Justiça Eleitoral; Consulta Web, que possibilita o acesso aos dados inseridos no Módulo Interno e emissão de certidões com certificação ou autenticação digital; e o Módulo Externo, pelo qual, os representantes dos partidos políticos enviam, pela internet, as informações referentes à constituição, alterações dos órgãos de direção partidárias, em qualquer âmbito, além do credenciamento e descredenciamento de delegados perante a Justiça Eleitoral.

Após o envio das informações pelo SGIP, ainda era necessário emitir o formulário e apresentar o mesmo a Justiça Eleitoral para a análise. Com a versão 3 do Sistema, o formulário não será mais encaminhado a Justiça Eleitoral. “O procedimento de análise ainda vai existir, mas agora tudo será de forma eletrônica. O partido agora vai fazer a inserção que ele tem que fazer no sistema, no modulo externo, que o que ele utiliza, e ao confirmar cairá tudo no sistema interno do Tribunal para ser analisado e validado”, explica Vespasiano Neto, Coordenador de Partidos da Secretaria Judiciária.

Para Neto, o uso do SGIP3 é um avanço tanto para a economia de papel quanto para no repasse de informações. “É mais um passo que a Justiça Eleitoral da na informatização dos seus sistemas.Na medida que, ele conclui a operação, automaticamente, já chega ao nosso sistema para ser processado. Então, temos ganho de economia e de agilidade também. Seguimos no caminho do Processo Judicial Eletrônico (PJe) que implantaremos em breve neste Regional”, conclui o Coordenador de Partidos.

Leia na íntegra a Resolução TSE Nº 23.093/2009

Confira aqui a galeria de imagens

Últimas notícias postadas

Recentes