TRE do Pará avança para realização de seu concurso

concurso 2019

Tribunal reforça que os dados oficiais são divulgados por seus perfis em redes sociais e no seu site na internet

 

A busca por informações acerca do processo seletivo que o Tribunal Regional Eleitoral do Pará realizará tem gerado divulgações equivocadas acerca das etapas vencidas e a vencer para efetiva realização do concurso. Reforçando que os dados oficiais são divulgados por seus perfis em redes sociais e no seu site na internet, o TRE, por meio de sua assessoria de comunicação, traz a atualização acerca do andamento do processo, com entrevista com Rodrigo Valdez, Secretário de Gestão de Pessoas do tribunal.

Vai ocorrer o concurso do TRE do Pará?

Sim. O TRE do Pará solicitou autorização do Tribunal Superior Eleitoral para realização do concurso, inclusive ofertando fonte orçamentária para a contratação da empresa organizadora. A autorização do orçamento foi publicada no Diário Oficial da União no último dia 9 de agosto.

Qual o atual status do concurso do TRE?


A Comissão concluiu a elaboração do projeto básico e o próximo passo será a contratação da empresa para elaborar o certame. Nesta semana estamos dando seguimento às ações nesse sentido e esperamos concluir esse processo até o início de novembro.  Estamos seguindo com nosso planejamento para que o processo ocorra dentro do planejado por nós. Nossa proposta é concluir o certame até as próximas eleições municipais para que já tenhamos esse reforço de pessoas nas próximas eleições.

Quantas vagas serão ofertadas e para quais cargos?


As vagas já foram definidas e são: uma (1) para Analista Judiciário da Área Administrativa (privativa de pessoas com formação em Direito), e duas (2) Técnico Judiciário da Área Administrativa, que pode ser exercida por quem possui o nível médio, ambos com lotação inicial em zonas eleitorais do interior do estado. Além dessas, há vagas de cadastro reserva para Analista Judiciário para Medicina, com especialidade em Psiquiatria (cadastro reserva); Técnico Judiciário para Operação de computadores (cadastro reserva); Analista Judiciário sem especialidade (cadastro reserva) e; Analista Judiciário em Análise de Sistemas (cadastro reserva).

O fato de serem poucas vagas disponíveis não desestimula os candidatos?

São poucas vagas no início, mas é importante destacar que a rotatividade desses cargos costuma ser grande, tanto que no último concurso oferecemos poucas vagas, mas no decorrer no período de validade dele chegamos a chamar em torno de 40 candidatos do cargo de analista e quase 80 do cargo de técnico judiciário.

Saiba Mais:

A remuneração e os benefícios dos cargos oferecidos no concurso público encontram-se estabelecidos na Lei nº 11.416/200 e leis alteradoras, além de Resoluções do Tribunal Superior Eleitoral, consistindo nos seguintes valores: para os cargos de analista a remuneração (vencimento básico + GAJ) é de R$ 12.455,30 e para Técnico Judiciário é de R$ 7.591,37, ambos com auxilio alimentação de R$ 910,08.

  

Confira a descrição dos cargos, bem como a escolaridade exigida:

NÍVEL SUPERIOR

Cargo

Analista Judiciário – Área Judiciária

Descrição Sumária

Executar atividades privativas de bacharel em Direito relacionadas com processamento de feitos e apoio a julgamentos.

Escolaridade/Formação

Diploma ou certificado, devidamente registrado, de curso de Ensino Superior em Direito, reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC).

Cargo

Analista Judiciário – Área Apoio Especializado - Especialidade em Medicina (Psiquiatria)

Descrição Sumária

Executar atividades de nível superior relacionadas com a assistência médica preventiva e curativa, conforme a especialidade médica.

Escolaridade/Formação

Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior em Medicina, fornecido por instituição reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC), registro no Conselho Regional da categoria e título de especialista na área de Psiquiatria ou Residência Médica em Psiquiatria devidamente reconhecidos.

Cargo

Analista Judiciário – Área Apoio Especializado - Especialidade em Análise de Sistemas

Descrição Sumária

Realizar atividades de nível superior relacionadas com o desenvolvimento, implantação e manutenção de sistemas informatizados.

Escolaridade/Formação

Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior na área de Tecnologia da Informação, reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC); ou curso de graduação em qualquer área de formação, reconhecido e concluído em instituição de ensino superior credenciada pelo MEC, acrescido de curso de pós-graduação na área de Tecnologia da Informação, com carga horária mínima de 360 (trezentas e sessenta) horas, fornecido por instituição credenciada pelo MEC.

 

NÍVEL MÉDIO

Cargo

Técnico Judiciário – Área Administrativa (sem especialidade)

Descrição Sumária

Executar atividades de nível intermediário relacionadas com as funções de administração de recursos humanos, materiais e patrimoniais, orçamentários e financeiros, controle interno, bem como as de desenvolvimento organizacional e suporte técnico e administrativo às unidades organizacionais.

Escolaridade/Formação

Certificado, devidamente registrado, de conclusão de curso de ensino médio (antigo 2º grau) ou de curso técnico equivalente, expedido por Instituição de Ensino reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC).

Cargo

Técnico Judiciário – Área Apoio Especializado – Especialidade em Operação de Computadores

Descrição Sumária

Executar atividades de nível intermediário relacionadas com operação e manutenção de equipamentos de informática.

Escolaridade/Formação

Certificado, devidamente registrado, de conclusão de curso de ensino médio (antigo 2º grau) ou de curso técnico equivalente, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, acrescido de cursos de informática com, no mínimo, 180 horas/aula.

Últimas notícias postadas

Recentes