Programação do Seminário de Direito Eleitoral encerra com saldo positivo

Palestras e debates contaram com a participação de mais de mil inscritos durante os dois dias de programação do Seminário, em Belém

TRE-PA SEMINÁRIO FINAL

A expectativa era grande entre os participantes do seminário de Direito Eleitoral realizado pelo Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA), por meio da Escola Judiciária Eleitoral (EJE). O segundo e mais esperado dia da programação, trouxe à mesa de debate, nesta sexta-feira, 11, as Fake News, termo utilizado para denominar notícias falsas que são compartilhadas nas redes sociais.

O avanço da tecnologia deu voz aos cidadãos, no entanto, também trouxe alguns efeitos colaterais. Acessar as redes sociais hoje requer muito cuidado. Notícias de fontes duvidosas vem sendo postadas e compartilhadas em grandes proporções. Atendo a essa mudança, o TRE do Pará, busca preparar o eleitor para não ser vítima desse tipo de notícias principalmente no período eleitoral.

A estudante de comunicação social, Ellen Silva, participou da palestra e elogiou a iniciativa do TRE. “Como estudante e cidadã, sei da importância desse tema. Preparar o eleitor para eleição é uma atitude importante, afinal, as informações se propagam com a mesma velocidade da internet. O tempo todo somos bombardeados com milhões de informação e separar o que é relevante é um grande desafio”, diz a estudante que também elogiou a organização do evento.

Para o doutor em direito e palestrante do seminário, Diogo Rais, ressalta a importância do trabalho que vem sendo executado pela Justiça Eleitoral para coibir esse tipo de ação nas redes. ''A justiça eleitoral não está de mãos atadas. Trabalhamos para garantir a liberdade de expressão do cidadão, além de conduzir as eleições com muito cuidado, sem atuar de forma repressiva e criminalizadora, atuando de forma preventiva. Nós como usuários da internet interagimos com o conteúdo, temos que ter também, responsabilidade com o que geramos''.

“Apesar de parecer algo novo, o conceito de Fake News já existe há muitos anos, o que mudou foi a velocidade na propagação que as redes sociais proporcionam. Essa comunicação de muitos para muitos, tornou-se muito rápida. Esse tipo de notícia tem um conjunto de características bem peculiares, normalmente são escritas na terceira pessoa, com expressões muito fortes, contem sentimento de raiva e tem como objetivo enganar o cidadão”, explica Leandro Nunes, mestre e doutor em Engenharia Elétrica.

 

Tecnologia

No intervalo da programação, representantes do TRE do Pará, Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Secretarias de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) e Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Pará (Prodepa), se reuniram com intuito de afirmar parcerias e garantir melhorias nos dispositivos utilizados para a capitação de dados e identificação do cidadão. 

No que se refere ao sistema de biometria, o estado já garante números bem expressivos com  54 municípios que terão o pleito com a identificação pela impressão digital. Para as Eleições 2018, o TRE iniciou o recadastramento biométrico em novembro de 2016, tendo como meta inicial realizar a biometria em 4 municípios do estado, no entanto, a Presidente do Tribunal, Célia Regina de Lima Pinheiro, decidiu ampliar e garantir o direito do voto biométrico para mais 50 municípios. “Foram 18 meses de muito trabalho na capital e nos interiores, e assim, conseguimos alcançar um número satisfatório. A gente encerra mais uma fase do processo eleitoral com a certeza de ter feito um bom trabalho”, destacou a Presidente do TRE.

Além do sistema biométrico, os representantes também puderam conhecer o aplicativo do Documento Nacional de Identificação (DNI), que já está em fase de teste na capital e será disponibilizado ainda neste primeiro semestre. O DNI consiste em um aplicativo simples e reuni todas informações do cidadão.

Últimas notícias postadas

Recentes