Justiça Eleitoral do Pará monta força tarefa para cumprir prazos do calendário eleitoral

Quase 30 zonas eleitorais receberam suporte remoto no processo de análise de registro de candidaturas.


Quase 30 zonas eleitorais receberam suporte remoto no processo de análise de registro de candi...

 

Cerca de 22 servidores do Tribunal Regional do Eleitoral do Pará participaram ativamente do suporte remoto na fase de análise dos pedidos de registro de candidatura. Foram 27 Zonas Eleitorais atendidas por colegas posicionados na sede do TRE, em Belém, na modalidade remota, para auxiliar no atendimento da demanda de julgamento de registro de candidaturas, cujo prazo encerrou na segunda-feira, 26.

Segundo o site de Divulgação de Candidaturas e Contas Eleitorais do Tribunal Superior Eleitoral, foram registrados no Pará, 659 candidatos ao cargo de prefeito e 22.267 candidatos aos cargos de vereadores, distribuídos nos 144 municípios paraenses.

O analista judiciário Elder Duarte, lotado na assessoria da presidência, foi um dos servidores que trabalhou nesta ação inédita de atendimento remoto. Para ele foi um desafio correr contra o tempo para cumprir o que determina o calendário eleitoral. “Trabalhamos no processo a partir da nossa própria estação de trabalho, sem precisar viajar, foi uma solução prática, eficiente e com bem menos custos aos cofres públicos. Uma solução muito interessante. O desafio sem dúvida foi dar cumprimento a esse processo de registro de candidaturas. Eu atuei no suporte remoto em duas Zonas, Marituba e Parauapebas”, conta.

Esse foi o primeiro ano em que o TRE atua dessa forma, utilizando o atendimento remoto no apoio às zonas eleitorais. Para isso, as zonas atuaram com o uso do Processo Judicial Eletrônico (PJE) e no site de Divulgação de Candidaturas e Contas Eleitorais. A ação foi destacada pelo presidente do TRE, desembargador Roberto Moura, na abertura da sessão de hoje, "em um dado momento, em razão do grande acesso à plataforma do PJe, gerenciada pelo TSE, a acesso foi dificultoso, o que fez com que o TSE determinasse o acesso por rodízio, e logo atuamos no sentido de realizar os ajustes para permitir a atuação dos servidores no apoio ás zonas que necessitavam desse reforço", ressaltou.

Rosana Matos, assistente da Seção de Lotação, Gestão e Desempenho do TRE, informa que o recrutamento dos servidores começou em setembro, e que o trabalho teve um resultado positivo. “O serviço remoto auxiliou muito as Zonas Eleitorais. Foi uma força de trabalho acrescentada para desenvolver as atividades do processo de registro de candidaturas”, comemora.

Linhas de Apoio - O diretor-geral do TRE Pará, Osmar Frota, explica que o Tribunal Regional Eleitoral do Pará sempre teve três linhas de apoio às eleições municipais: suporte personalizado feito pela Secretaria de Tecnologia de Informação; suporte feito pelo NEAP – Núcleo Especializado de Apoio durante o processo eleitoral às Zonas Eleitorais e o apoio presencial. Este ano, em função da Covid, fopi criada a possibilidade do suporte feito de forma remota.

O DG ressalta que, diante de toda a dificuldade imposta pelo cenário pandêmico no Estado, foi pensada uma solução prática. “Pensamos no perfil deste servidor para dar apoio às Zonas Eleitorais, pensamos no suporte de maneira remota, que já existe graças ao apoio tecnológico e hoje é uma realidade pelo Processo Judicial Eletrônico e no próprio DivulgaCand”, pontua.

Ele acrescenta ainda que, além do suporte remoto, 15 servidores estão em Zonas Eleitorais no interior do Estado dando suporte presencial. “Hoje podemos concluir que temos 42 zonas recebendo as modalidades de suportes presencial ou remoto do TRE Pará”. 

Frota agradeceu em especial o empenho dos servidores que estão atuando no suporte remoto. “O Tribunal se reinventa e, diante de uma dificuldade que é a pandemia, cria uma nova modalidade; eu tenho certeza essa forma de apoio remoto não vai se extinguir após as eleições, essa modalidade será perene. E ela continua em especial para as próximas eleições municipais. Agradeço aos servidores que, além de trabalharem em suas unidades, estão apoiando as zonas, e também agradecer aos macrogestores que entenderam que o tribunal precisava deles neste momento. Como sempre digo, o sucesso de uma Zona é o sucesso do Tribunal, e o fracasso de uma zona é um fracasso do tribunal. O Tribunal Regional Eleitoral do Pará é único, todos somos uma unidade, nós somos o TRE do Pará”, finaliza o diretor-geral Osmar Frota.

Últimas notícias postadas

Recentes