TRE realiza atendimento nas comunidades ribeirinhas de Melgaço

Durante 16 dias, a equipe da Justiça Eleitoral e colaboradores percorreram 12 localidades a bordo de um barco e, navegando pelos rios da Amazônia, realizaram 2.105 atendimentos.

TRE-PA itinerante em Melgaço

 

O município de Melgaço, localizado na região do Marajó, é cercado pelos rios da Amazônia e possui cerca de 27.415 moradores, segundo o censo do IBGE de 2018. Desse total, 16.237 são eleitores aptos a votar. Boa parte deste eleitorado vive em comunidades rurais, onde só é possível chegar de barco. E é desta forma que a Justiça Eleitoral consegue levar os serviços aos cidadãos.

Durante o mês de fevereiro, técnicos da 99ª Zona Eleitoral de Melgaço montaram um roteiro para levar o processo de recadastramento biométrico até o eleitor das comunidades mais afastadas. A equipe é formada por quatro servidores do Tribunal Regional Eleitoral do Pará, dez atendentes cedidos pela Prefeitura de Melgaço, policiais militares além de duas cozinheiras.

Foram 16 dias de viagem de barco. Doze comunidades visitadas: Areias, Durval, Vila Viegas, Gibaltrar, Pimental, Ganso, Capinal, Pedreira, Pracupijó, Curupaú, Marajó e Ilha da Salvação. Todas as localidades com características bem parecidas: ilhadas, com casas de palafita, uma população simples e hospedeira. O posto de atendimento da Justiça Eleitoral é sempre montado em um local de referência, normalmente, em escolas das comunidades.

“Fomos a localidades distantes até doze horas de viagem de barco. Em todas, os eleitores chegavam para fazer o recadastramento biométrico em barquinhos, amarravam na árvore ou na ponte, e entravam na escola. O atendimento era rápido e logo eles voltavam para suas casas pelos furos de rio. Constatamos muita pobreza e analfabetismo nas comunidades atendidas e os eleitores se mostraram satisfeitos com o serviço da Justiça Eleitoral chegar até eles”, descreveu Rubens Cavalcante, analista judiciário do Tribunal que é um dos coordenadores da ação no município.

Cenário este, que se repete em outras regiões do estado do Pará. A Justiça Eleitoral tem um desafio enorme em chegar nos quase 5,5 milhões de eleitores espalhados pelo estado.

“Este ano, o TRE do Pará pretende concluir com o processo de recadastramento biométrico obrigatório e garantir que nas próximas eleições municipais, todo o eleitorado paraense vote biometricamente”, afirma o Presidente do TRE do Pará, Desembargador Roberto Moura.

 

 

Últimas notícias postadas

Recentes