TRE do Pará realiza encontro inédito sobre a importância das mulheres na política.

Com auditório lotado de lideranças partidárias e da sociedade civil, o evento chamou atenção para as cotas de gênero e o uso do fundo partidário.

Com auditório lotado de lideranças partidárias e da sociedade civil, o evento chamou atenção par...

 

Na última sexta-feira (13), o Tribunal Regional Eleitoral do Pará viveu um dia diferente, envolvido pela maciça presença feminina que lotou o seu Plenário para participar da programação voltada para as orientações técnicas e apresentações envolvendo a temática da importância de ampliarmos a participação da mulher na política.

Foi uma manhã de aprendizado, troca de experiências e de olhar no olho das gestoras e algumas futuras candidatas aos cargos políticos nas eleições municipais de 2020. Todas bem representadas na plateia diversa que respondeu ao chamado do TRE para falar do assunto, entre jovens, adultas, terceira idade, negras, mães, trabalhadoras, mulheres que atuam na política em Belém e no interior do Estado.

Para a ativista Eliana Perdigão, este momento foi histórico na Justiça Eleitoral. “Eu, mulher, negra e de periferia, nunca imaginei estar reunida, participando juntamente com juízes, desembargadores da Justiça Eleitoral de um evento de tamanha grandeza”, comemora.

“Precisamos de mulheres negras, da periferia, mulheres que realmente tem poder de fala nos seus espaços e que elas possam levar isso para dentro da Casa Legislativas e Câmaras”, pontua Perdigão.

Eliana é ativista, foi vítima de violência doméstica e hoje atua junto às mulheres em busca pelo respeito e igualdade de direitos. No final do evento, ela presenteou a Vice-Presidente do TRE do Pará, desembargadora Luzia Nadja Nascimento, com uma placa com a frase “Vai com medo mesmo”, mensagem de encorajamento feminino em que perpassa pela luta de todas de mãos dadas em busca de um bem comum.

Comissão – O Seminário “Eu, mulher: participação, política e sociedade”, foi o primeiro evento de 2020 organizado pela Comissão de Incentivo à Participação Feminina do Tribunal Regional Eleitoral, em atuação conjunta com a corregedoria Eleitoral.

Para a secretária da Presidência do TRE, e integrante da Comissão, Ingrid Agrassar, “a participação feminina é uma temática fundamental no processo democrático das eleições 2020. A mulher representa a família, novas ideias e passa esta credibilidade no mundo da política”.

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Pará, desembargador Roberto Moura, afirma que o evento é um compromisso do Tribunal. “O TRE do Pará se alinha a todos os tribunais eleitorais, inclusive o TSE, contribuindo com o incentivo à maior participação das mulheres no processo eleitoral. Este evento veio para contribuir para que os partidos possam atentar para a cota de gênero que deve ser observada, inclusive o TSE já deliberou no sentido de que o partido que não observar a cota mínima feminina poderá sofrer as penalidades devidas”, conclui.

Participações – Para a professora emérita da Universidade Federal do Pará, Zélia Amador de Deus, “a iniciativa do TRE Pará foi um momento histórico e muito importante para este debate, e espera que continue cada vez mais politizando as mulheres, para que elas ocupem o lugar a que têm direito. As mulheres saem fortalecidas para ocupar o lugar que, em princípio, já é delas”, pontua.

A jornalista Adelaide Oliveira, ficou feliz com a iniciativa da Justiça Eleitoral. “A iniciativa é incrível, pois você traz mulheres para falar com outras mulheres, incentivando que elas possam não ter medo para entrar no cenário político.  Lugar da mulher é sim na política, elas podem pensar pelo coletivo, em uma cidade mais inclusiva, uma sociedade mais democrática a partir deste olhar feminino que elas têm”, finaliza. 

Para a advogada e professora universitária, Juliana Freitas, a promoção deste evento pela Justiça Eleitoral foi ímpar para a construção e disseminação do poder e da força da mulher como imprescindíveis para o avanço do nosso país. “Precisamos nos unir cada vez mais e sempre e juntas, seguirmos. Ainda estamos distante do ideal de paridade da representatividade feminina nos espaços políticos, mas, aos poucos, seguimos em frente. A Assembleia Legislativa do Estado do Pará tem 10 deputadas eleitas, de um universo de 41, feito histórico jamais alcançado anteriormente”.

Para Juliana, ainda é necessário uma atuação mais intensa de incentivo à participação da mulher, pelo bem da própria sociedade. “A realidade dos nossos municípios é outra, porque são geridos, essencialmente, por homens. E dados apontam para o engajamento da mulher em prol do coletivo e do social, quando assume postos de decisão; isto é, a mulher trabalha mais em favor da sociedade do que os próprios homens”.

A advogada Nelcy Maranhão, da cidade de Castanhal, afirmou que o Seminário foi enriquecedor. “As palestrantes e o evento em si foi engrandecedor por todas as informações apresentadas”. A vereadora de Castanhal, Luciana Castanheira, disse que saiu com mais conhecimento após o evento no Plenário do TRE. “Saímos daqui empoderadas com as palestras recebidas e seria muito importante termos essas palestras em mais lugares, pois tenho certeza que o número de mulheres seria muito maior no cenário político”, explica.

Próximas etapas – A programação envolvia eventos em Marabá e Santarém, porém em razão das medidas tomadas para reduzir os impactos da pandemia do Coronavírus, os eventos programados para o mês de abril foram cancelados pelo TRE.

Texto: Andreza Gomes

Fotos: Ronaldy Silva

Últimas notícias postadas

Recentes